Adaptação de atividades - Mitos e verdades

Fabiana Leme de Oliveira

Foto:  Papelão com furos paralelos e barbantes coloridos (treino de laços)
Foto: Papelão com furos paralelos e barbantes coloridos (treino de laços)

Um grande desafio na inclusão escolar de alunos com deficiência ou com autismo é desenvolver atividades que favoreçam a aprendizagem de forma significativa sem perder de vista o planejamento e o contexto da turma.

Quando o aluno apresenta uma grande defasagem em relação aos conteúdos propostos de forma geral, como propor atividades que não deixem o aluno a parte da turma e desconectado do planejamento? 

Diante desse desafio na sala de aula, professores de todas as fases, séries ou modalidades de ensino se questionam:

  • Devo procurar atividades mais fáceis?
  • Preciso montar uma apostila a parte?
  • E se eu pegar o livro da série anterior?
  • Acho que devo propor apenas atividades lúdicas e de socialização?
  • Talvez  oferecer apenas material concreto?

Vamos desmistificar alguns pontos nesse artigo, mas como o tema é amplo não se encerra aqui. Precisamos refletir, expor nossas práticas e colaborar com o desenvolvimento de uma prática inclusiva que amplie a permanência do aluno com deficiência na escola com qualidade de ensino e aprendizagem significativa.

1. Todo aluno com deficiência precisa de atividades adaptadas - Mito

Foto: mão escrevendo em caderno
Foto: mão escrevendo em caderno

A necessidade de adaptação das atividades é muito individual. 

Nem todo aluno com deficiência ou com autismo apresentam dificuldades na aprendizagem que justifiquem a adaptação dos conteúdos, das atividades ou dos recursos. 

É muito importante avaliar as habilidades e competências do aluno, além do diagnóstico clínico que ele apresenta.

2. Sem acessibilidade não há inclusão de fato - Verdade

Foto: mãos lendo página em Braille
Foto: mãos lendo página em Braille

Não há como discutir a inclusão escolar se o aluno não têm acesso aos materiais didáticos por falta de adaptação tais como: Braille, ampliação, textos resumidos no caso de alunos com deficiência intelectual por exemplo.

Também não podemos esquecer das barreiras físicas que impedem alunos com deficiência física ou mobilidade reduzida a acessar os espaços da escola por falta de rampas, por exemplo. É fato, para que a inclusão realmente aconteça é preciso garantir igualdade de acesso para todos os alunos.

3. Ele está na escola para a socialização apenas - Mito

A socialização é extremamente importante, mas o papel da escola é oferecer situações de aprendizagem significativas sendo a socialização uma delas. 

Por isso é importante garantir que o aluno seja avaliado em sua individualidade e o planejamento possa ser construído para garantir diferentes e progressivos desafios levando o aluno à uma aprendizagem constante e dentro do contexto da turma. 

**Saiba mais como elaborar o Plano de Desenvolvimento Individual do aluno nesse artigo: 3 dicas para elaborar um PDI que funciona!

4. Ele precisa de atividades mais fáceis ou das séries anteriores - Mito

Desenho de uma flor com bolinhas de crepom coladas
Desenho de uma flor com bolinhas de crepom coladas

Todo aluno precisa receber novos desafios para avançar em sua aprendizagem. Isso não é diferente para os alunos com deficiência ou com autismo. 

Mas para propor novos desafios é preciso considerar quais são os conhecimentos prévios desse aluno, suas diferentes habilidades e competências muito além de avaliar o que ele sabe ou não sabe.

Vamos lembrar o conceito de "Zona de Desenvolvimento Proximal define aquelas funções que ainda não amadureceram, mas que estão em processo de maturação, funções que amadurecerão, mas que estão, presentemente, em estado embrionário" (*Vygotsky. 1984, p. 97). 

Na prática o que isso significa? Vamos imaginar que o planejamento, o contexto da turma é trabalhar com o conceito de frações e o aluno ainda não desenvolveu o conceito de números de 0 até 10. Mas já é capaz de realizar pareamento por igualdade, qual seria uma proposta viável?

Foto: Círculos recortados representando frações
Foto: Círculos recortados representando frações
  • Selecionar algumas frações mais usadas para que ele realize o pareamento;
  • Propor o fracionamento de objetos: 1/2; 1/3; 1/4;
  • Oferecer receitas impressas para que ele localize as medidas, construir um copo de medidas com referências de frações e fazer uma receita seguindo as medidas;
Desenho copos de medidas representando frações
Desenho copos de medidas representando frações

Espero que essas reflexões iniciais auxiliem o pensar no dia a dia da sala de aula. Você gostaria de discutir algum tema específico? Aproveite os cometários para sua sugestão.


Fabiana Leme
Fabiana Leme

Conheça também o INCLUzap, o WhatsApp da Inclutopia com muito conteúdo e informação, toda terça e sexta-feira.

Totalmente gratuito! Como participar?

Mande um WhatsApp para (11) 95956-5945 solicitando sua inserção ou clique na figura abaixo!