Atividades de multiplicação - Tabela Pitagórica

30/10/2020

Muitos alunos com deficiência intelectual, com transtornos do espectro autista ou com dificuldades acentuadas na aprendizagem apresentam dificuldades para compreender a multiplicação como adição de fatores iguais e suas relatividades. 

É importante apresentar a multiplicação como uma construção e não algo a ser decorado com exercícios repetitivos e muitas vezes sem sentido.

Por isso separamos uma série de atividades que irão auxiliar o desenvolvimento do conceito multiplicativo que nada mais é que a realização de somas sucessivas;

Vamos conhecer a Tabela Pitagórica:?


Pitágoras foi um filósofo, matemático, astrônomo e músico grego pré-socrático. Nasceu na ilha de Samos no ano aproximado de 570 a.C. e morreu, provavelmente, em 496 a.C.. Passou boa parte de sua vida na antiga região da Magna Grécia (atual território italiano) e lá fundou a sua escola filosófica . 


Em uma tabela são distribuídos dois eixos, um horizontal e outro vertical. 

Em cada um deles os números 1 a 10 são distribuídos e, em seguida, uma malha quadrícula com uma casinha é desenhada para cada multiplicação entre os números dos dois eixos.

Em seguida, multiplicam-se os números do eixo horizontal com os do eixo vertical, posteriormente, coloca-se o resultado na casinha correspondente da grade. 

A tabela pitagórica é mais visual do que a tabela de multiplicação tradicional. 


>>ESSE ARQUIVO GRÁTIS ESTÁ NO FIM DO ARTIGO<< 

Vamos às atividades práticas!

1. Apresente a tabela de Pitágoras em branco e peça para o aluno preencher o resultado da tabuada do 2, utilizando materiais concretos se necessário (palitos, tampinhas, lápis), acrescentando sempre 2 ao resultado ou contando de 2 em 2;

2. Peça que o aluno identifique qual tabuada pode apresentar os mesmos resultados. Ao identificar peça que termine de preencher a tabuada usando apenas a tabuada do 2 e qual estratégia deve usar. (espera-se que o aluno perceba o dobro).

3. Prossiga solicitando o preenchimento da tabuada do 8, observando a tabuada do 2 e do 4 como referência e explicar a sua conclusão. 

>>ESSE ARQUIVO GRÁTIS ESTÁ NO FIM DO ARTIGO<< 


É hora do desafio!

4. Desafie o aluno a preencher a tabuada do 3, adicionando 1 ao resultado da tabuada do 2 e após confirmar o resultado (pode-se usar a soma de parcelas ou ainda usar a calculadora). 

O mais importante é observar a relação entre os números.  

5. Preencher a tabuada do 5 usando o resultado da tabuada do 2 e do 3 e explicar sua conclusão (espera-se que o aluno perceba que 2+3=5, logo os resultados da tabuada seguem a mesma lógica).

6. Pedir para que o aluno preencha os demais resultados em branco fazendo estas relações: adicionar ou subtrair 1 da tabuada vizinha, dobro, ou adição de resultados. 

Descobrindo novas aprendizagens

É importante oferecer esta estratégia por algumas vezes e lançando desafios em outra ordem, garantindo a compreensão destas relatividades, pois os alunos com dificuldade necessitam de maior tempo para assimilar e acomodar novas aprendizagens. 

Você já conhecia e utilizava a Tabela Pitagórica?


Você conhece nossos cursos via WhatsApp?



Pedagoga com habilitação em Deficiência Intelectual

Especialização em Psicopedagogia


Profª Ariane Vitoriano

Pedagoga com habilitação em Deficiência Intelectual e Deficiência Auditiva

Especialização em Acessibilidade

Profª Fabiana Leme