Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade - TDHA

06/11/2020
Figura: menino de ponta cabeça em frente a um sofá vermelho
Figura: menino de ponta cabeça em frente a um sofá vermelho

Quando falamos de Transtorno de Déficit de Atenção e hiperatividade, temos uma série de dúvidas em relação a quais seriam os comportamentos que realmente caracterizariam esse transtorno e quais teriam outras origens, por exemplo;

Por isso vamos conhecer um pouco mais sobre as características e algumas orientações importantes que vão auxiliar no processo de ensino e aprendizagem;


O que é o TDAH

"*O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade." 

Além do fator genético, existem outras teorias sobre as causas do surgimento do TDHA em determinados indivíduos, como por exemplo, ingestão de álcool e nicotina durante a gravidez, problemas no parto e sofrimento do feto e exposição ao chumbo. 


Nem sempre há agitação psicomotora

<a href='https://br.freepik.com/fotos/criancas'>
<a href='https://br.freepik.com/fotos/criancas'>

TDHA - tipo desatento

  • Desatenção, distração,
  • Dificuldade em sustentar o esforço em atividades mais exigentes,
  • Percepção da passagem do tempo.
  • Dificuldade de concentração nas aulas, leituras de livros,
  • Às vezes parece não ouvir quando o chamam.
  • Às vezes capta apenas partes do assunto
  • Resistência ao iniciar tarefas que exigem longo esforço mental

Tipo Hiperativo/Impulsivos 

  • Buscam por constante por estimulação,
  • Apresentam impulsividade e dificuldade em pensar antes de agir,
  • Inquietação: mexem demais as mãos e os pés, possuem dificuldade em ficar parado em um lugar por muito tempo.
  • Fazem várias coisas ao mesmo tempo e sempre estão em busca de novidades, pois detestam tédio.
  • Podem demonstrar impaciência, comportamentos compulsivos e/ou explosivos sendo muitas vezes imprevisíveis.

Dicas e orientações

  1. Nem todo período de agitação é sinônimo de hiperatividade;
  2. O diagnóstico deve ser feito por equipe multidisciplinar;
  3. Em sala de aula, estabeleça momentos para verificar se as comandas coletivas foram entendidas. Se for necessário repita individualmente;
  4. Forneça pistas visuais para apoio de seguimento da rotina;
  5. O uso de duplas produtivas, para auxiliar o retorno da atenção à atividade;
  6. Quando você perceber que a pessoa está mais desatenta, aproxime-se de faça um toque suave na pessoa.

Para regular a impulsividade, use estratégias diferenciadas:

  • Use cartões para que o aluno respeite a fila, ou esperar a sua vez em um jogo.
  • Na hora de falar em grupo, para cada um falar apenas em sua vez, selecione um objeto e só irá falar quem recebe esse objeto;
  • Não privilegie o aluno por apresentar esse transtorno, converse com toda a turma, sempre de forma ética. Exercitar esses controles de comportamento e de agitação irá favorecer o aluno, a aluna;
  • Realize mediações em situações de conflitos, evitando assim o isolamento do aluno em relação a turma;

Conheça nossos cursos


Conheça todos os artigos por tema:

Fabiana Leme
Fabiana Leme

Conheça o INCLUzap

O INCLUzap, o WhatsApp da Inclutopia com muito conteúdo e informação, toda terça e sexta-feira.

Totalmente gratuito!

Mande uma mensagem para (11) 95956-5945, te espero lá!